Um dia em Salvador – Bahia

Partilha esse post

pulserinha senhor do bonfim
Portão da Igreja do Senhor do Bonfim, Salvador (Bahia, 2017)

Você tem um dia para visitar Salvador e não sabe por onde começar? Vem com a gente que te damos algumas dicas:

Comece pelo Mercado Modelo
Baía de todos os santos
Mercado Modelo, visto da Praça Municipal, em Salvador (Bahia, 2017)

O Mercado Modelo foi no passado a Casa da Alfândega (fundada em 1861) e atualmente é um importante edifício histórico da cidade – inclusive foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Além de apreciar a arquitetura, hoje o Mercado Modelo abriga inúmeras lojas de souvenirs e artesanato e restaurantes.

Aliás, do segundo andar, há um terraço com uma vista bem bonita.

 

Suba o Elevador Lacerda
Elevador Lacerda (Salvador, 2010)

O Elevador Lacerda é um dos cartões postais de Salvador, foi inaugurado em 1873, tem 63 metros de altura e foi o primeiro elevador urbano a ser construído no mundo.

Ele liga a cidade baixa com a cidade alta e o ingresso a ele custa 15 centavos.

 

Dê uma paradinha na Praça Municipal

Saindo do Elevador Lacerda, você estará na Praça Municipal, lugar também histórico, que surgiu em 1549, data da fundação da cidade. Estão ali o Palácio dos Governadores e a Câmara de Vereadores.

 

Caminhe até o Largo do Cruzeiro de São Francisco
Igreja de São Francisco (Salvador, 2017)

É ali, no Largo do Cruzeiro de São Francisco que está a Igreja de São Francisco, famosa por abrigar, em seu interior, adornos em ouro.

 

Siga até o Largo do Pelourinho
pelourinho
Largo do Pelourinho (Salvador, 2017)

Outro ponto famoso de Salvador, o Largo do Pelourinho foi até cena de um clipe do Michael Jackson, mas ele recorda um passado triste.

Na época da fundação da cidade, era comum o uso do pelourinho, instrumento usado para amarrar e chicotear escravos. Antes, havia um pelourinho na Praça Municipal, mas acabou sendo trasladado para este local no início do século XIX, onde ainda foi utilizado por, mais ou menos, três décadas.

Atualmente, é um lugar bastante turístico, que abriga casarões bonitos, restaurantes, a Fundação Casa de Jorge Amado (livraria e cafeteria) e a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (que traz bonitas missas mesclando a liturgia católica com ritmos africanos).

 

Se puder dar uma esticadinha, vá até a Igreja Nosso Senhor do Bonfim (que não está tão próxima, mas é um ícone da cidade e deve ser vista)
Igreja Nosso Senhor do Bonfim (Salvador, 2017)

Outro cartão postal de Salvador, é por causa dela que há a tradição de amarrar uma fitinha com os dizeres “Lembrança do Senhor do Bonfim da Bahia” no braço quando se vai à Bahia: amarra-se a fitinha no braço com três nós e faz-se um pedido.

 

Dica 1

Em todo o percorrido há uma bela arquitetura colonial para ser apreciada. Vale perder-se por uns momentos nessas ruas e praças.

Dica 2

Algo que você deve saber quando está em Salvador é que inevitavelmente será abordado por muitas pessoas querendo te vender algo ou oferecer algum serviço. Não dê muita atenção a elas (a menos que esteja interessado no que ela está oferecendo) porque isso tomará bastante o seu tempo.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Sugestão de livro: Da minha praia até o Japão - Caminhos de Uma Mochila
  2. Bahia (Brasil) - Caminhos de Uma Mochila

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*