Galápagos (Equador)

Partilha esse post

Piquero de patas azules (Galápagos, 2015)
Ilha Santa Cruz, Galápagos (Equador, 2015)
Ilha Santa Cruz, Galápagos (Equador, 2015)

Na América do Sul há encantos culturais e naturais. Dentro desses últimos, Galápagos se encaixa perfeitamente. Se você quer entrar em contato com a natureza, com certeza deve levar em consideração uma viagem a esse lugar tão lindo.

Piquero de patas azules (Galápagos, 2015)
Piquero de patas azules (Galápagos, 2015)

Galápagos é um arquipélago que tem origem vulcânica. 97% de toda sua extensão é preservada, não havendo acesso ao turismo nessa área. Ele é constituído por belíssimas ilhas, sendo que apenas quatro são habitadas. Por ali, lobos marinhos, iguanas, pelicanos, tartarugas gigantes são alguns dos animais que se vê com facilidade, a poucos metros (e, em alguns casos, centímetros) de você.

Lobo marinho descansando em um pier, na Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)
Lobo marinho descansando em um pier, na Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)

Em muitos lugares de Galápagos não está permitido ir sem a presença de um guia, por isso, quem deseja conhecer as ilhas não habitadas deve contratar excursões junto a uma agência de turismo (elas estão espalhadas pelas principais ilhas).

Quando ir

Por estar próximo à linha do Equador, nas ilhas Galápagos o clima é agradável em toda época do ano. Mas o melhor mês é março, quando o céu fica sem nenhuma nuvem.

O que levar

Leve roupas leves na mala e uma blusa para se proteger do vento e da chuva – na parte alta da ilha Santa Cruz, por exemplo, costuma chover, mas ainda assim faz calor.

Protetor solar é indispensável e repelente, muito recomendado.

E, como as praias são lindas, roupa de banho é importante para desfrutar melhor a sua estadia.

Iguana em Tortuga Bay, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)
Iguana em Tortuga Bay, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)

Se gostar de snorkeling e tiver os equipamentos, inclua-os na mala, pois as águas são claras e em algumas partes, é possível ver peixes e outros animais marinhos de perto. Mas, se não tiver, não se preocupa, pois há opções de alugá-los.

Las Grietas, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)
Las Grietas, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)

Chegando em Galápagos

Para chegar ao arquipélago o modo mais fácil é por avião: há voos das empresas Avianca, Lan e Tame que saem de Guayaquil e Quito.

Antes de embarcar a Galápagos é necessário comprar o cartão do turista (CTC) por US$ 20 e passar por uma revisão de malas antes mesmo de fazer o check in na companhia aérea (não pode entrar na ilha sementes, alimentos, plantas e animais). O cartão do visitante pode ser preenchido pela internet, mas não se preocupe pois isso pode ser feito no próprio aeroporto.

E, ao chegar no arquipélago, ainda no aeroporto, outra taxa deve ser paga: US$ 100 para turistas não residentes no Equador, US$ 50 aos turistas não residentes que pertencem à Comunidade Andina ou Mercosul (entre outros o Brasil) e US$ 6 aos turistas residentes no Equador – as crianças menores de 12 anos pagam meia e as menores de 2 anos, não pagam. Esse dinheiro é revertido em melhorias para as ilhas e nas pesquisas sobre a biodiversidade local. Clique aqui para maiores informações.

O aeroporto está na Ilha Baltra e, de lá, pega-se um ônibus gratuito que deixa o visitante em um porto (Doca Baltra), onde se pega um barco a Ilha Santa Cruz por US$ 1. Chegando em Santa Cruz, há ônibus que deixam os turistas em Puerto Ayora, na mesma ilha, por US$ 2.

Outra opção é chegar em Galápagos pelo aeroporto de São Cristóvão.

Vista do arquipélago desde o avião (Galápagos, 2015)
Vista do arquipélago desde o avião (Galápagos, 2015)

Hospedagem

Por ser uma zona basicamente turística, a oferta de hospedagem é grande: há opções para todos os gostos e bolsos.

Se você busca por baixos preços, convém saber que os melhores preços não estão nos buscadores de hotéis (como Booking.com, Expedia ou Trivago). Andar pelas ruas, já na ilha, seguramente é a forma mais eficaz para encontrar o valor de hospedagem que procura.

Uma dica que damos para quem quer economizar é fazer a reserva de apenas um dia, para a data de chegada, e depois, já instalado em seu destino, procurar uma hospedagem semelhante mas que ofereça um valor mais baixo. Essa recomendação é para baixa temporada.

Comida

Nas ilhas Galápagos, há muita oferta de peixes e frutos do mar. A lagosta, por exemplo, é um prato comum, que pode ser consumido por mais ou menos US$ 15. Ceviches e peixes fritos também podem ser encontrados.

Lagostas em exposição em um restaurante (Galápagos, 2015)
Lagostas em exposição em um restaurante (Galápagos, 2015)

Na Ilha Santa Cruz, por exemplo, é possível encontrar um menu (com sopa, prato principal e suco) por US$ 4. Mas há muitos outros restaurantes e bares espalhados por todos os lugares turísticos.

Mercado de peixe no Muelle de los Pescadores, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)
Mercado de peixe no Muelle de los Pescadores, Ilha Santa Cruz (Galápagos, 2015)

Veja mais fotos desse lindo lugar no YouTube.

 

6 Comentários

    • Muy buen lugar René, mucha naturaleza y donde es posible ver animales como lobos marinos, pequeños tiburones, tortugas marinas y las galapagos (tortugas gigantes), además de muchas aves, bien cerca. Además las playas son limpias la arena blanca, água cálida y tranquila. Recomendamos 100% ese lugar. Todos lo vuelos de Perú hacia Galapagos se hacen pasando por Lima y Guayaquil (o Quito).

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*