Dicas para economizar na viagem a Europa

Partilha esse post

Walking tour em Madrid (Espanha, 2015)

Cuidado com as conversões de moeda. 

Ok, a maioria dos países europeus usam o euro como moeda, mas a Europa está além da zona do euro e pode ser que você precise trocar dinheiro. Para isso, além de buscar um lugar com um câmbio favorável, calcule o quanto irá gastar aproximadamente para não lhe sobrar dinheiro. Lembre-se que a cada conversão a casa de câmbio fica com uma quantia de seu dinheiro, sem contar os impostos que paga, as taxas, etc.

Câmbio do dia 23 de agosto de 2015 (Noruega)
Câmbio do dia 23 de agosto de 2015 (Noruega)

Evite usar cartão de crédito

Se por um lado andar com dinheiro em papel moeda é perigoso (se você for roubado, não tem como ser ressarcido), usar o cartão de crédito tem suas desvantagens. A principal delas é a taxa de 6,38% cobrada em cima de todos os seus gastos no exterior. Além disso, a cotação do dólar no momento do fechamento da fatura pode causar surpresas (tanto agradáveis quando desagradáveis – mas o melhor é não arriscar). E, dependendo do local para onde está viajando, ele pode não ser aceito. A única vantagem são as milhas que pode adquirir.

* Use o cartão pré-pago

Para maior segurança em viagens ao exterior o cartão pré-pago é uma opção interessante, pois, apesar de, assim como o cartão de crédito, ser cobrada a taxa de 6,38% de IOF, o valor a ser carregado na cotação do dia da recarga (mesmo que vá ser usado depois de meses, quando obviamente o valor do dólar, por exemplo, não estiver mais o mesmo), o que dá uma segurança maior e evita perdas de dinheiro se o câmbio sofrer grandes alterações. Apesar de se gastar um pouco mais com  o IOF, o cartão pré-pago é uma boa opção por dar a segurança de ser substituído em caso de perdas ou roubos. Ele pode ser usado em diversas moedas, sendo que as principais são dólar, euro e libra.

* Viaje de ônibus.

Se está querendo economizar nas viagens, mesmo que para isso tenha de abrir mão de seu conforto, viaje de ônibus entre cidades ou países, pois sai mais barato do que de trem ou avião (salvo algumas exceções). Busque as empresas: Eurolines, ID Bus, FlixBus, Megabus, entre outras. Mas, antes de comprar sua passagem, não deixe de buscar pelos voos low cost, pois às vezes há ofertas imperdíveis. As companhias aéreas que costumam ter bons preços são Ryanair, Easy Jet, Vueling, entre outras. Os trens também costumam fazer promoções.

Planeje suas visitas culturais.

Se você gosta de ir a museus e tiver planejado bem a viagem, talvez valha a pena comprar um cartão de entrada livre para museus e transportes públicos, normalmente, eles têm validade de um ou dois dias. Eles não custam barato, mas se a sua ideia é visitar mais de três museus, podem ser úteis.

Cartão, comprado no centro de informações turísticas, que dá direito a transporte público e entrada nos museus sem custos adicionais (Noruega, 2015).
Cartão, comprado no centro de informações turísticas, que dá direito a transporte público e entrada nos museus sem custos adicionais (Noruega, 2015).

Verifique também os museus que têm entrada gratuita.  Em alguns,  uma vez ao mês,  a entrada é grátis.

* Faça o Free Walking Tour.

Em muitas cidades existem grupos e/ou empresas que oferecem um tour à pé por alguns pontos da cidade com um guia que conta um pouco sobre a história do lugar e dos principais monumentos. Apesar de dizer que o tour é gratuito o guia sempre pede uma contribuição no final do passeio e o turista dá aquilo que acha que o tour vale. É uma maneira bem interessante de descobrir a cidade sem gastar muito dinheiro.

Walking tour em Madrid (Espanha, 2015)
Walking tour em Madrid (Espanha, 2015)

* Escolha hostels com cozinha. 

Em alguns países comer em um restaurante pode ser um verdadeiro luxo (Noruega, por exemplo), mas, mesmo nos países mais baratos (como Espanha e Portugal), você pode economizar algum dinheiro se fizer, ao menos, uma refeição no hostel. Fazer um macarrão simples qualquer um pode fazer, certo? mesmo aqueles que não têm dotes culinários ou paciência para gastar tempo de viagem na cozinha. Há hostels, inclusive, onde alguns hóspedes quando vão embora deixam as coisas que compraram e acabaram não usando, o que pode até ajudar nas suas economias comendo comida de graça.

* No mercado, atenção às embalagens.

Em alguns países, como Noruega ou Alemanha, na hora de comprar sua bebida o valor da embalagem é cobrado à parte (na Alemanha, por exemplo, você encontra uma garrafa de água por 19 centavos, mas na hora de passar no caixa, na sua conta será acrescida de 25 centavos, do envase). Mas, nesses países, geralmente, os mercados dispõem de uma máquina de reciclagem, onde se coloca o envase e sai um cupom com o valor pago por ele anteriormente e que pode ser gasto no mercado.

Comprovante de compra, em um supermercado na Alemanha. Repare no desconto de 25 centavos por devolver a embalagem de plástico da água (2015)
Comprovante de compra, em um supermercado na Alemanha. Repare no desconto de 25 centavos por devolver a embalagem de plástico da água (2015)

* Beba água gratuita.

A água é essencial para o viajante que faz longas caminhadas, principalmente se a temperatura está alta. Mas, fique atento, há muitos lugares na Europa (Roma, Pompeia, Barcelona, Viena, Budapeste, entre outros) que dispõe de fontes de água potável em vários pontos da cidade. Assim, você pode encher a sua garrafinha e desfrutar de água fresca e gratuita!

* Gaste quando for necessário

Fazer economia não significa tentar ser esperto e/ou burlar leis. Na Europa, é muito fácil entrar em um transporte público sem ter um bilhete validado ou sem bilhete, pois na maioria dos lugares não há uma catraca, somente um ponto onde você coloca o bilhete para ser validado. Mas, em muitas viagens de trem, metrô ou ônibus um controlador pode pedir para ver o seu bilhete e se você não o tiver ou se não tiver com a validação correspondente à viagem que está fazendo a multa é bem alta. Em Atenas, por exemplo, a multa é 60 vezes o valor do bilhete. Aí, a economia que você esperava fazer acaba virando prejuízo.

Bilhete do transporte público de Bergen, Noruega (2015)
Bilhete do transporte público de Bergen, Noruega (2015)

* Não compre por impulso.

Essa dica serve para o nosso dia a dia, mas em viagens, quando, geralmente, disponibilizamos de menos dinheiro e espaço limitado na bagagem, é realmente importante comprar aquilo que realmente importa. Se você faz parte daquele grupo de viajantes que precisa levar uma recordação do local e gosta de comprar lembrancinhas para os amigos e familiares, é essencial olhar diversas lojas antes de comprar (mesmo porque passear por entre lojas de souvenir é também um passeio agradável) e evitar de comprar a primeira coisa que vê, pois às vezes encontramos coisas mais interessantes depois ou mesmo refletimos melhor sobre o produto e desistimos de investir nosso dinheiro nisso (a não ser, é claro, que você tenha pouco tempo e uma lista grande de presentes a comprar, mas aí esteja consciente de que é muito provável que vá gastar mais).

* Estipule um valor máximo para gastar em um dia de viagem

Esse conselho serve principalmente se você vai viajar por muito tempo e tem um orçamento apertado. A ideia é dividir o valor que tem disponível em toda a viagem pelo número de dias de duração dela (sabendo que é importante ter um dinheiro sobrando para qualquer emergência que acontecer no caminho). Sabendo quanto pode gastar por dia fica mais fácil controlar e, se caso, extrapolar em um dia, saberá que no próximo deverá gastar menos.

Outra dica interessante é anotar todos os seus gastos. Você verá como se controla mais depois de visualizar melhor para onde vai o seu dinheiro.

6 Comentários

    • O procedimento é parecido para todos os países da Europa (o turista apresenta o passaporte no ato da compra e recebe um envelope com um formulário que deve ser apresentado na saída do país ou do território europeu para receber a quantia devida em dinheiro ou, posteriormente, no cartão de crédito), mudando basicamente o valor mínimo de compra e a porcentagem do reembolso em cada país.
      Para calcular melhor o valor do reembolso, na internet há uma calculadora bem bacana: Refund Calculator
      Mas, isso a gente sabe na teoria, porque não estamos gastando o suficiente para pedir o reembolso – restaurantes e hospedagem não estão incluídos nos gastos que podem ser reembolsáveis.

  1. Minha primeira viagem para fora do país foi pra Alemanha.

    Foi a primeira vez que viajei sozinho e foi sensacional, apesar de todo o receio inicial, valeu muito a pena enfrentar esse medo e partir à essa experiência incrível.

    Nessa mesma viagem ainda consegui conhecer um pouco da Republica Tcheca. Essa é uma das principais vantagens de ir para o continente europeu, pois é possível transitar facilmente entre diversos países.

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*